13 Novembro 2005

Futebol! Organização e Dinâmica

O futebol é , numa definição arcaica , um desporto colectivo que agrupa 22 intervenientes em 2 grupos (equipas) , e em que se estabelece , entre estas 2 equipas , uma relação de rivalidade desportiva tendo em vista a obtenção de vitória sobre o adversário.
No entanto, o jogo do Futebol é na sua essência bem mais complexo que isso , e encontra-se numa mutação constante que provoca uma evolução natural.
Esta mutação e evolução , leva ao estabelecimento e criação de várias teorias sobre o mesmo , que se vão sendo actualizadas e alteradas por outras mais recentes tornando-se num fenómeno dinâmico e contínuo.

No entanto todas estas teorias devem ter em conta 3 factores.
A compreensão do jogo deve partir da lógica, da hipoteticidade (porque não há certezas de tudo) e da dedução.
Sendo o fenómeno com “vida própria” e que se vai renovando a si mesmo , só podemos considerar que há desenvolvimento no mesmo se a taxa de aprendizagem for superior á taxa de mudança , isto é , quando a nossa capacidade de compreender for maior que a velocidade com que as coisas mudam.

O fenómeno colectivo que este jogo representa , a recorrência á ciência para o inovar e o constante desenvolvimento do mesmo leva-nos a concluir que “Se o êxito ou inexito individual ou colectivo, está exclusivamente nas mãos do acaso , o mérito e por consequência a responsabilidade do jogador que actua , parece estar fora de causa” , daí cada vez mais, tornar –se inconcebível falar-se na sorte e no acaso , pois a constante mecanização , dinamização e organização dos processos individuais e colectivos , reduzem a componente sorte ou azar , embora estas prevaleçam na realidade do Futebol , até determinado ponto.

A evolução contínua do Futebol leva-nos a determinar algumas das mais marcantes mudanças no mesmo.
Assim , a mudança mais marcante que se distingue no desenvolvimento do Futebol no Mundo , é sem dúvida , a aplicação da ciência (como já foi referido) aos seus problemas , e também a utilização de uma tecnologia cada vez mais aperfeiçoada , sempre apoiada em dados científicos , que nos permite estabelecer um “código de leitura” da realidade do jogo.

Tudo isto implica uma mudança na mentalidade daqueles que preferem resistir á evolução do futebol e a aplicação da tecnologia e ciência no mesmo ( estes defendem que o futebol é um fenómeno estático , e que tudo no futebol já foi inventado …não havendo nada mais para mudar ou melhorar).
Torna-se pois necessário a abertura da mentalidade , de todos aqueles que se dedicam ao Futebol , a uma aprendizagem permanente ---Isto irá reflectir-se numa dinamização de mentalidades no Futebol.

A citada dinamização de mentalidades que interage com as , também já citadas , ciência e tecnologia , leva a uma evolução do jogo , o que nos leva claramente a concluir (como foi explicado anteriormente) que o Futebol não é algo estático , mas sim que a evolução deste é uma evolução contínua e sistémica.
Sistémica , pois as diferentes componentes do Futebol estão interligadas e são portanto inter dependentes. (ex: a alteração de uma lei de jogo , implica repercussões em termos tácticos , o que pode implicar maior ou menor esforço dos jogadores , etc , etc).

A evolução sistémica deve ser estudada , no imediato , através de 4 diferentes abordagens ao jogo , ao Futebol:
1-Abordagem regulamentar: refere-se ás leis do jogo que determinam o sentido e o espírito do jogo.
2-Abordagem psicossocial: refere-se a 2 grupos diferentes (as 2 equipas) com objectivos claramente antagónicos acabando por se criar uma espécie de campo de forças entre estas , que tende a manter-se em equilíbrio.
3-Abordagem técnica
4-Abordagem táctica

Estas abordagens estabelecem uma base de compreensão do jogo e complementam-se umas ás outras , no entanto , não abordam a “panorâmica” total do jogo.
Entra aqui a componente cooperação , pois sendo o Futebol um desporto colectivo , a congregação dos diferentes intervenientes no sentido de cumprimento de objectivos colectivos , torna-se indispensável ao sucesso (a soma das partes vai dar a algo mais que o todo …acabando-se por atingir ao sucesso).
Toda esta conjuntura leva-nos a uma organização dinâmica do Futebol que vai assentar em 6 vertentes fundamentais (cultural , estrutural , metodológica , relacional , táctico-tecnica e estratégico-tactica) , cujo funcionamento só é possível se todas estiverem interligadas.

Podemos assim analisar o jogo do Futebol como uma entidade organizada (todo) , em que as partes (elementos) , embora distinguíveis , são interdependentes e organizados num campo total segundo certas leis.
Assim, os elementos (partes) apresentam certas características produzidas pelo facto de pertencerem ao todo , e este tem algumas características que não pertencem a nenhum dos elementos estudados , resultando assim , da articulação interna dos diferentes elementos que se mantêm funcionalmente interdependentes.

Com este efeito , o jogo do Futebol representa uma unidade estrutural que no seu conjunto não pode ser reconhecido somente pela análise das partes.

“O todo é sempre maior que a soma das partes”


Finalizando , chegamos á conclusão que no Futebol não há um simples método infalível ou melhor em todas as condições , para atingir os objectivos.
Estes podem ser alcançados através de diferentes factores e diversas actividades internas.

Esta multiplicidade de factores e estratégias que levam ou não ao sucesso , concedem ao Futebol toda uma complexidade , que o torna excitante , viciante e interessante , e que leva em ultima análise á sua evolução sistémica , devido em parte á constante busca de novas soluções para atingir o sucesso e supremacia que nos guiam ao objectivo final…a vitória!

Sem comentários: